Curso Preparatório para OAB

Na semana passada, com a propagação e o impacto de que o deputado Eduardo Cunha estava tentando acelerar a votação do projeto de lei anti-exame, a série de manifestações ressurgiu fortemente nas redes sociais, em uma tentativa de reforçar os argumentos contra o fim do teste.

Argumentos, na minha opinião, não tem consistência, mais orientada para satisfazer o fim político em si que para deixar claro qual o papel que o verdadeiro teste de íons Ordem.

A maioria das lendas mais comuns sobre o pedido de exame 1.

1 – Quem seleciona o profissional é o mercado de trabalho em vez do OAB.

Esta declaração é muito comum entre aqueles que por muito tempo para o final do teste, que envolve um erro muito grave: acreditando que a prestação de serviços jurídicos se assemelha a atividade liberal qualquer.

Não é e nunca será!

E não é uma razão é muito simples: os direitos dos indivíduos não pode ser tratado casualmente não, de ânimo leve ou com qualquer tipo de habilidade por um advogado. É uma questão de interesse público!

Deixe o “mercado” escolher entre bons e maus advogados não é um raciocínio simples é a disputa entre quem é o melhor. advogado ação sempre assume que está lidando com a lei da jurisdição. A seleção dos melhores para a mera competência envolve necessariamente a destruição dos direitos de um grande número de clientes.

Este é exatamente por isso que o advogado, incluindo o exercício de um ministério privado também exerce uma função pública. Ou seja, o advogado é um liberal exercícios profissionais e de serviço público. É a única profissão com este recurso.

E munus público para o exercício da função social relevante à luz ou à falta de critérios não é concedido. Daí a existência ea razão para o exame da Ordem.

Deixando o “mercado para selecionar” significa a destruição do prestígio da classe, a destruição dos direitos de inúmeras pessoas e desacreditar o Judiciário.

advogado Lousy só pode ser ruim, se ele causou danos aos seus clientes. Quantos clientes perderam seus direitos são um advogado é considerado ruim? Como será o “mercado” sabe quem é bom ou quem é ruim, porque as pessoas são leigos em relação ao universo frio?

Tão simples.

2 – Nunca vi um estudo que mostra para o exame, na verdade, uma lei má prática impedido.

Sim, e isso nunca vai ser possível produzir um estudo desta natureza, a menos que o exame em si termina. Haveria um campo real na análise de dados empíricos, em seguida, poderia ser analisado.

Ou não.

Estou ciente da existência de um estudo fila que mostra quantas vezes foram perdidos no certo ou corte bar por um determinado período de tempo. Ou quantos erros técnicos foram feitas, ou a quantidade de recursos foram negados porque não foram properly pré-interrogatório, ou quantos direitos individuais foram jogados fora porque eles não foram cobertos na properly petição …

Que é um campo de subjetividades óbvias onde a análise dados objetivos encontra grande dificuldade em que ocorrem, tanto assim que o tipo desse campo de pesquisa é limitado, dada a dificuldade em produzir data.

Mas ainda é impossível adivinhar o que aconteceria com o fim do exame da Ordem, porque não há um estudo, o próprio ECM, mostrando hoje a realidade do nosso ensino superior, a realidade refletida no futuro, isso acontece em todas as profissões neste país: 38% dos estudantes universitários no Brasil são analfabetos funcionais.

Para os que pretender realizar um curso preparatório para a OAB, o Master OAB parece um bom preparatório.